domingo, 30 de outubro de 2016

Como foram as Jornadas Nacionais de Catequistas 2016?

Terminaram hoje as Jornadas Nacionais de Catequistas 2016 «Fazei tudo o que Ele vos disser» foi o tema das Jornadas que se realizaram no Centro Paulo VI, em Fátima, de 28 a 30 de outubro.
 
 EDUCRIS encontras todas as informações, vídeos das conferencias...vai até lá e colhe

Preparamos um pequeno trabalho com os link dos vídeos dos trabalhos apresentados no site EDUCRIS
" Na abertura das Jornadas Nacionais de Catequistas (JNC) o bispo de Santarém afirmou que "família e catequese estão unidas pela alegria da fé". (...)
Para D. Manuel Pelino Domingues a "verdadeira alegria vem do encontro com Cristo, que nos liberta e ilumina, levando-nos a formar uma comunidade e a ser fermento do mundo novo".
 
O prelado alegrou-se pela "preocupação de ligar família e catequese" que está "bem patente nas respostas dos catequistas das nossas dioceses" ao documento « a catequese: A alegria do Encontro com Jesus Cristo»:

" Assim a grande preocupação dos catequistas é conseguir encontrar respostas válidas que permitam aos pais um redescobrir a fé e serem, eles próprios, portadores desta alegria de conhecer e experimentar Jesus aos seus filhos".

Na Conferencia sob o tema «A alegria do Amor na família é o júbilo da Igreja» o professor na Universidade Católica Portuguesa José Eduardo Borges de Pinho referiu "que a primeira atitude da Igreja, e dos agentes de pastoral, deve ser a que "acolher com o coração agradecido e acolher os cinco pães e dois peixes" que as "famílias de hoje apresentam" e não se contentar "com discursos morais impregnados de doutrina mas longe da realidade de hoje":

"Este é o grande desafio da catequese e da Igreja na transmissão da fé nas familias", sustentou o professor, recordando que a tentação é seguir o mais fácil pois "é mais fácil propor religião, do que propor, caminhos firmes de descoberta de Jesus e da experiencia da fé".

Na manhã do segundo dia das Jornadas Nacionais de Catequistas (JNC) os agentes de pastoral iniciaram o seu dia com a celebração da eucaristia na Basílica da Santíssima Trindade, em Fátima.

Na sua homilia D. manuel Pelino Domingues, bispo de Santarém e presidente da Comissão Episcopal da Educação Cristã e Doutrina da Fé (CEECDF) convidou os catequistas a "reconhecerem-se como servos" evitando "a sede de protagonismo e deixando transparecer, através de si, o Mestre que é o verdadeiro protagonista do caminho da fé".

«Viver a espiritualidade mariana em família» foi a proposta com que a manhã deste sábado terminou nas Jornadas Nacionais de Catequistas 2016.
Ana Alexandra Nunes e Nuno Prazeres, juntamente com dois dos seus três filhos, partilharam com os catequistas uma "a nossa experiência de crescimento na fé como casal" que procura "descobrir a vontade de Deus a cada momento" e afirmaram a importância da vida cristã na construção do seu projeto de vida.
O casal afirma “A vida é um dom e como tal devemos vive-la em permanente açao de graças"

“A vida é uma dadiva, que cada dia é um presente maravilhoso, porque frágil, para ser acolhido com gratidão e nós procuramos também viver transmitir este estilo de vida Eucarístico aos nossos filhos praticando esta economia o dom acolher a vida com gratidão em espírito de serviço
 
Na Conferência «Maria, mãe, discípula e educadora» O bispo de Leiria-Fátima alertou os catequisas para o facto da "figura de Maria e a sua imagem" ser "o símbolo mais importante da cristandade ocidental depois da cruz". (...)
O primeiro pilar baseia-se na "contemplação da beleza do amor misericordioso de Deus por cada um de nós". O segundo pilar passa pela "contemplação da beleza da Igreja como povo do Senhor". O terceiro pilar passa pela "contemplação da vida com Cristo de quem foi mãe e a primeira e mais perfeita discípula".

D. António Marto convidou os agentes de pastoral a "estarem atentos às muitas confusões que ainda persistem sobre a figura de Maria":

Nenhum comentário: