sexta-feira, 24 de junho de 2016

Catequista já pensaste nisto?

“Educar na fé é como percorrer um caminho. Partimos de um lugar ou seja: das condições de vida e de fé dos nossos catequizandos e a partir daí, tentamos chegar a um destino e esse é sempre Jesus, “o caminho de Cristo «leva à vida»“

Mas precisamos conhecer o itinerário que nos é fornecido pelos objectivos propostos pelos catecismos e guias e ou aqueles que o grupo define de acordo com o Pároco e ou coordenação.
Para fazer o caminho, usamos determinadas estradas, que são as actividades e métodos que utilizamos ao longo do ano.

Avaliar é uma actividade de catequese (como qualquer outra, exp: acolhimento) que deveríamos usar com frequência, para saber onde estamos, em relação ao itinerário previsto e se precisamos de fazer correcções ou mesmo pedir ajuda. Pois quando reconhecemos que não há progressão, quando as dificuldades do caminho não nos deixam avançar, apesar da oração e dos nossos esforços, é indispensável (obrigatório) colocar o problema à coordenação e ao Pároco. Porque se continuo a avançar deixando os problemas acumulados dificilmente encontra o caminho, perco o rumo, criando uma falsa caminhada que pode deixar marcas graves.

Ao avaliarmos, temos de fazer perguntas sobre nós mesmos. Isso ajuda-nos a ver com mais lucidez o que andámos a fazer. Torna-se mais claro o que fazemos, se estamos a fazer bem, ou se estamos a fazer menos bem, ou mal.
Ao avaliarmos damos significado à catequese.
Aprendemos a interpretar a realidade e a prever os possíveis efeitos para preparar melhor o futuro. Ao avaliar, estamos a promover a criatividade, evitando repetir os mesmos erros.
Ao avaliarmos tentamos melhorar a catequese
. Cada avaliação tem como fim último ajudar os catequistas e os catequizandos a ficarem mais próximos do Evangelho.
O tempo da avaliação é um convite à conversão. É um estímulo a uma maior coerência evangélica.

(continua)

Nenhum comentário: