quinta-feira, 16 de julho de 2015

Implementação da catequese familiar na Paróquia de Cucujães 2012-2013

A Paroquia de S Martinho de Cucujães implementou no ano 2008/2009 um novo modelo de catequese: Catequese Familiar “Pais com Cristo”
O nosso Pároco, Padre Artur elaborou um livro por trimestre "PAIS COM CRISTO" para os pais orientar os filhos na catequese feita em casa aos (o livro ajuda os pais a preparar as catequeses em casa, pois segue o guia da catequese do SNEC)
Metodologia:
Os pais reuniam com o Sr. Padre e dois animadores, uma vez por mês: Esses encontros dividiam-se em dois tempos. No 1º tempo o Sr Padre fazia a catequese aos pais;
O 2º tempo, destinava-se a troca de experiencias e orientações para uma vida melhor, como….
Durante a semana os pais transmitiam aos filhos os ensinamentos recebidos preparando-os para o encontro semanal com o catequista.

Este modelo terminou este ano 2012/2013 para aderirmos ao novo modelo de Catequese Familiar (proposto pelo SNEC) por iniciativa do Padre Artur de Matos.

1 – CATEQUESE FAMILIAR NA PAROQUIA DE S. MARTINHO DE CUCUJAES

Atendendo á experiencia anterior de trabalho com os pais o nosso Pároco (Sr. Padre Artur Bastos) não hesitou em avançar para o novo modelo de catequese familiar proposto pelo SNEC, assim planeou-se a implementação do projeto.

As matrículas para o 1º ano Catequese 2012 / 2013 foram anunciadas aos pais na Folha Paroquial “Espírito e Vida” a partir de 17 de Junho com a seguinte informação:
• “Os pais cujas crianças façam seis (6) anos até 31 de dezembro deste ano devem matriculá-las na Catequese, no mês de julho.
• Para isso haverá três (3) reuniões informativas nos dias 17 / 18 / 19 de julho. No dia 19 será entregue a ficha de matrícula para ser entregue até fins de julho, na Casa Paroquial.”

1.1 – Objetivos das reuniões:
• Orientar os pais na caminhada catequética que os filhos vão iniciar;
• Expor o novo modelo de catequese familiar;
• Convidar à reflexão familiar, para optar pelo modelo de catequese a seguir

1.2 - Criação de uma equipa paroquial de catequistas e animadores familiares, para implementar o novo modelo de catequese “Catequese Familiar”

1.3 - Elaboração da programação provisória

1.4 - Pontos fracos:
- Na equipa ninguém tinha formação em catequese familiar;
- As reuniões em massa (com os pais) dificultaram o diálogo e a mensagem não foi compreendida;
- Os pais sentiram medo de algo desconhecido, que não compreenderam, que parecia muito trabalhoso e de muito tempo;
- Não houve convites personalizados;
- Poucos catequistas.

1.5 – Pontos positivos:
- O trabalho em equipa,  para compreender o método e organizar o processo;
- O Estudo, a investigação, as Jornadas Nacionais, descobrir à necessidade de investir novos esforços e lançar uma nova evangelização das famílias cristãs.
1.6 - Catequese Familiar
-  Este tipo de catequese segue o itinerário catequético aprovado pela nossa conferência episcopal dando especial ênfase ao testemunho, indispensável para que a catequese não se reduza a pura teoria;
- Mas pela experiência de vida e da vivência concreta da fé e pela doutrina.
- O papa João Paulo II apontou a Catequese Familiar, como forma privilegiada da Igreja formar os seus filhos porque a futura evangelização depende, em grande parte, da Igreja doméstica que é o lugar indispensável para a formação da pessoa.

1.7 - Desenvolvimento da Catequese Familiar
-  A proposta de Catequese Familiar (CF) desenvolve-se em quatro tempos valorizando de forma especial o Domingo:
 Tempo 1 (na paróquia, duas vezes por mês)
- Encontro dos pais: tem como objetivo a descoberta da fé dos adultos, que acontece num grupo de pais orientado por um animador ou catequista. Neste encontro são fornecidas aos pais sugestões para comunicar em família o que foi amadurecido no grupo.
Tempo 2 (em casa, ao longo do mês)
 - Diálogo em família: no encontro dos pais, oferecem-se-lhes algumas propostas simples, assim como materiais, preparando-os para a sua missão de testemunhar a fé aos filhos, com momentos próprios de diálogo, de oração e de confronto com a vida. O diálogo em família, entre pais e filhos, é o momento central de toda a CF.
 Tempo 3 (na paróquia, duas vezes por mês)
- Encontro das crianças: realiza-se numa sala da catequese, pelo menos, um período de duas horas e sempre sucessivo ao diálogo em família.
- Onde as crianças, tem a possibilidade de partilhar o que viveram em família e o catequista aprofunda a catequese e incentiva para a oração.
Tempo 4 encontro, no final de cada mês)
- Os pais que aderiram
- Os meios disponibilizados pela Paróquia.

2 – IMPLEMENTAÇÃO DO PROJETO
Inscreveram-se provisoriamente na Catequese familiar 20 crianças.
A equipa constituído por:
- O Pároco, 4 catequistas (sendo um casal e uma catequista colaboradora)

2.1- Reuniões Introdutórias (duas reuniões)

Na 1ºreunião introdutória apresentou-se o novo modelo de catequese.
Estabeleceu-se a discussão do horário, do dia para a “vinda à paróquia” mas, foi impossível compatibilizar o horário e o dia com todos os pais (iniciamos apenas com um grupo, por falta de catequistas) alguns pais optaram por seguir a catequese “normal”
Ficaram 6 crianças.

3 – PROGRAMAÇÃO
(Anexo)
4 – AVALIAÇÃO DOS 1ºS PASSOS
4.1 - Pontos fracos:
- Na equipa ninguém tem formação em catequese familiar
- As reuniões em massa (com os pais) dificultaram o dialogo e a mensagem não foi compreendida;
- Os pais sentiram medo de algo desconhecido, que não compreendiam, que parecia muito trabalhoso e de muito tempo;
- Não houve convites personalizados;
- Poucos catequistas;
-Sem instrumentos de avaliação do processo.

4.2 – Pontos positivos:
- O trabalho em equipa para compreender o método e organizar o processo;
- O Estudo, a investigação, as Jornadas Nacionais;
- Os pais que aderiram;
- A dinâmica de grupo criada;
- Os meios disponibilizados pela Paróquia;

Nenhum comentário: