quarta-feira, 2 de março de 2016

VII parte "A Missa Caminho de Amor"


Já refletiste na oração feita pelo Celebrante após "Glória a Deus"?

"O Celebrante convida: Oremos - todos se conservam em silêncio por alguns instantes, tomando consciência de que estão na presença de Deus e formulando interiormente seus pedidos. Depois o sacerdote diz a oração que se costuma chamar de ‘coleta’, a qual a assembleia dá o seu assentimento com o ‘Amém’ final” (IGMR 32).

Dentro da oração da coleta podemos perceber os seguintes elementos: invocação, pedido e finalidade.
A oração coleta fecha a fase de «primeira atitude de contacto», em jeito de síntese. É o que significa alias o nome dessa oração da coleta, isto é, oração-recolha. Na coleta «recolhe-se».
Como?
Trata-se antes de mais de cada um na sua igreja unificar o seu coração para Deus e em Deus;
Porque, para progredir no caminho do diálogo e do amor, devemos ser levados à unidade no interior de nós mesmos.

Depois de nos termos conhecido mutuamente, vem o confronto ou o face a face.
(Recorda: Aproximamos-nos hesitantes de Deus no ritos iniciais, pedimos perdão, demos Glória a Deus, colocamos sobre o Altar a nossa vida na Oração da Coleta, agora vamos sentar, pois vamos ficar face a face com Deus que nos vai falar)
"É dar mais um passo na verdade. Deus dá-Se a conhecer na Bíblia e o homem(nós) escuta. (escutamos)

Depois o homem responde com respeito e temor, através do SALMO.
O homem não encontra, de facto, outra resposta satisfatória à Palavra de Deus senão esta palavra do próprio Deus.
Primeiro vem a leitura, depois a resposta. E este ritmo é retomado várias vezes 


Normalmente, a liturgia dominical inclui três leituras:

- Primeira leitura, extraída do Antigo Testamento, - Segunda leitura, dos Atos dos Apóstolos, do Apocalipse ou das cartas….
 - O Evangelho Novo Testamento. A Igreja (nós) responde:

  •   À primeira leitura, com um salmo, 
  • À segunda leitura, com o cântico de aclamação «Aleluia»; 
  •   Ao Evangelho a homilia. 
 Durante as duas primeiras leituras está-se sentado, pode parecer, à primeira vista, uma atitude banal. Mas não!
Sentar-se para ouvir já não é uma atitude muito habitual na nossa cultura.
Quantas pessoas dedicam ainda algum tempo a sentar-se para ouvir o outro? Na relação do casal fala-se de um «dever de se sentar» um com o outro. 
- Reservar algum tempo para se tornar vulnerável ao que o outro diz, deixá-lo exprimir-se. O facto de se sentar é também um exercício na verdade"

 IN: Revista mensagem 420

Nenhum comentário: